Assembleia municipal da Ribeira Grande chumba referendo sobre incineração


 

Lusa/AO Online   Regional   5 de Nov de 2014, 10:27

A Assembleia Municipal da Ribeira Grande, chumbou a proposta do BE para a realização de um referendo no concelho sobre o projeto da incineração de resíduos para a ilha de São Miguel.

 

O único deputado do Bloco de Esquerda na Assembleia Municipal da Ribeira Grande, Luís Carlos Brum, disse à Lusa que a proposta foi rejeitada com os votos contra dos deputados do PSD e do PS.

A proposta recebeu, assim, um único voto a favor, o do próprio BE, acrescentou.

"Mais uma vez, são os políticos que decidem tudo e, mais uma vez, é retirada a oportunidade às populações para se pronunciarem sobre uma questão tão sensível", lamentou Luís Carlos Brum.

Para o deputado, PSD e PS "têm medo da decisão das pessoas", porque na ilha de São Miguel foram já cometidos "vários atentados ambientais", que perturbam a vida das comunidades.

O deputado sublinhou ainda que "o BE nunca desiste" e o partido vai continuar a bater-se pela realização de consultas populares sobre esta questão.

A 24 de outubro, o BE anunciou a entrega de propostas para a realização de referendos locais sobre a incineração em Ponta Delgada e Ribeira Grande, onde o partido tem representação nas respetivas assembleias municipais.

“A proposta é que o referendo faça às pessoas a pergunta que até agora não foi feita: estão ou não estão de acordo com a posição dos executivos municipais de através da AMISM [Associação de Municípios da Ilha de São Miguel], escolher a incineração como forma de tratamento dos resíduos?”, disse nesse dia a deputada municipal de Ponta Delgada Vera Pires, em conferência de imprensa.

Após a entrega das propostas de referendo, as assembleias municipais têm 15 dias para se reunir e tomar uma decisão, o que a assembleia da Ribeira Grande fez hoje.

Já a Assembleia Municipal de Ponta Delgada ainda não agendou a data da reunião para debater a iniciativa do BE.

Luís Carlos Brum revelou à Lusa que prescindiu da sua senha de presença na reunião de hoje, em resposta a críticas que disse ter ouvido dos outros partidos por causa da "despesa enorme" que significou reunir a assembleia municipal propositadamente por causa deste assunto.

O BE discorda da escolha da incineração para o tratamento dos resíduos urbanos nos Açores, dizendo que afeta a qualidade de vida das populações, tem impactos ambientais desnecessários e repercussões económicas de longo prazo.

"A avançar, a incineração será um presente envenenado para várias gerações e a decisão não pode ser tomada sem um amplo debate prévio com as populações envolvidas", frisou Vera Pires.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.