ASAE sem registo de irregularidades em 17 espaços fiscalizados devido à carne brasileira

ASAE sem registo de irregularidades em 17 espaços fiscalizados devido à carne brasileira

 

LUSA/AO Online   Economia   25 de Mar de 2017, 13:34

A ASA fiscalizou na semana passada, na sequência de problemas com carne brasileira que levaram à sua interdição em alguns países, 17 estabelecimentos nacionais, não tendo encontrado irregularidades nas amostras, foi hoje anunciado.

“A totalidade de amostras ensaiadas apresentou valores inferiores aos limites de deteção aplicáveis”, afirma a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), em comunicado, referindo-se ao caso de substâncias ilícitas detetadas no Brasil. Os problemas da carne brasileira foram registados no âmbito da Operação Carne Fraca, que abrange um conjunto de estabelecimentos de produção de carne sob suspeita de práticas fraudulentas, alguns dos quais com exportação autorizada para Portugal. As ações de fiscalização da última semana em Portugal envolveram cerca de 40 inspetores e médicos veterinários da ASAE, que fiscalizaram 17 operadores económicos, incluindo os importadores das empresas referenciadas no Brasil, bem como distribuidores envolvidos. A autoridade afirma que foi “feito o controlo de carne alegadamente suspeita, por forma a verificar a rastreabilidade” dos produtos que entraram no mercado nacional vindos do Brasil. A “avaliação macroscópica” foi efetuada, adianta a autoridade, explicando terem sido colheitas amostras que foram remetidas ao Laboratório de Segurança Alimentar da ASAE, para análises físico-químicas e microbiológicas. “Além de produtos controlados importados diretamente do Brasil, foram controlados produtos provenientes do Brasil que entraram no mercado nacional através de trocas intracomunitárias na União Europeia”, acrescenta. Na sexta-feira, o portal de notícias G1, da Globo, citando uma mensagem eletrónica da Comissão Europeia, anunciou que vai ser rejeitada e devolvida ao Brasil parte da carne brasileira que está a caminho dos países da União Europeia. O comissário europeu para Saúde e Segurança Alimentar, Vytenis Andriukaitis, vai estar no Brasil na próxima segunda-feira para reuniões com as autoridades brasileiras. O Brasil, considerado um dos maiores exportadores de carne do mundo, tenta reverter uma crise de confiança sobre as carnes exportadas pelo país desde a semana passada, quando a polícia federal denunciou a venda de produtos ilegais feita por 21 fábricas do setor de carne, entre elas unidades de grandes companhias exportadoras como a BRF e a JBS. O Brasil vende produtos de origem animal para mais de 150 países, detendo uma quota 20% do mercado internacional de carne (bovinos, aves e suínos). O setor de carne do país movimenta cerca de 14 mil milhões de dólares (12,9 mil milhões de euros) por ano em exportações.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.