Arranque da empreitada de nova torre de controlo da Graciosa previsto para julho

Regional /

808 visualizações   

A construção da nova torre de controlo do aeródromo da Graciosa, nos Açores, deverá arrancar em julho, indicou hoje a SATA Gestão de Aeródromos, depois de o PSD ter afirmado que o prazo para iniciar a obra falhou.
 

 

O concurso público para a nova torre de controlo do aeródromo da ilha Graciosa foi publicado a 20 de junho do ano passado, referindo-se a um investimento de cerca de 1,4 milhões de euros.

O novo edifício vai concentrar várias valências que estavam dispersas e a torre de controlo passará a estar separada da própria estrutura da aerogare.

Num requerimento entregue na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, o deputado do PSD/Açores eleito pela Graciosa, João Bruto da Costa, questionou o Governo Regional sobre a construção da torre de controlo, alegando que, passado quase um ano da publicação do concurso, “nada mais se sabe sobre esta obra e sobre as razões para a mesma não estar a ser inaugurada” na visita estatutária que o executivo termina hoje à Graciosa.

Além disso, o parlamentar lamentou que não se tenha clarificado se a torre vai ser integrada na nova aerogare, afirmando ser uma obra reiteradamente adiada ao longo dos últimos anos.

O diretor geral da SATA Gestão de Aeródromos (empresa do grupo da transportadora SATA), Ricardo Carvalho, afirmou à agência Lusa que a demora no arranque da empreitada "só se deveu a questões processuais".

A empreitada deve ter início em julho e terá um prazo de execução de 365 dias, adiantou.

Ricardo Carvalho esclareceu que "durante o processo houve a apresentação da lista de erros e omissões, que obrigaram a uma suspensão do prazo de entrega das propostas por 120 dias".

"Além deste facto, foram apresentados durante o período do concurso pedidos de esclarecimentos e, já na fase final, e depois da análise das propostas, foram apresentadas reclamações, situações que levam o seu tempo a clarificar e a tomar uma decisão final", sustentou.

O responsável explicou ainda que "no final de maio ficou concluída a parte processual" e que "no início desta semana a Direção Geral da SATA Gestão de Aeródromos submeteu à aprovação do conselho de administração" da companhia aérea açoriana "a proposta de adjudicação da empreitada e da fiscalização, o que foi aprovada no mesmo dia".

"Em termos processuais foram cumpridos todos os requisitos da contratação pública", afirmou, indicando que o novo edifício vai albergar o serviço aeroportuário, o serviço de meteorologia e ainda o serviço AFIS (Aerodrom Flight Information Service), que representa todo o sistema de comunicações com as aeronaves.

Quanto à nova aerogare na Graciosa, um investimento total de 3,5 milhões de euros, Ricardo Carvalho sublinhou que "o projeto já foi adjudicado", estimando que seja "lançado o procedimento para a construção da empreitada no decurso deste ano".

Este será, indicou, um edifício distinto da torre de controlo.