Arqueólogos fizeram novas descobertas em Timor leste


 

Lusa/AO On Line   Internacional   27 de Jul de 2010, 06:47

Arqueólogos internacionais descobriram, em Timor-Leste, fósseis da maior espécie de ratos que alguma vez habitou a Terra. O peso deste roedor, do tamanho de um gato doméstico, é calculado em cerca de seis quilos.

A descoberta foi publicada esta semana num artigo científico no Boletim do Museu Americano de História Natural, nos Estados Unidos, e é já notícia em vários portais on-line de publicações científicas.

Os responsáveis pelo artigo, Ken Aplin do The Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation, Austrália, e Helgen Kris da Instituição norte-americana Smithsonian, estimam o peso destes roedores gigantes – cuja mandíbula é tão grande quanto o crânio de ratos comuns - em cerca de seis quilos.

Os fósseis deste roedor, que de acordo com os investigadores mais se parece a um grande gato doméstico, foram descobertos durante escavações realizadas em grutas em Timor-Leste.

Nesses mesmos trabalhos foram também encontrados fósseis de onze novas espécies de ratos já extintos, referem os investigadores.

A datação por carbono mostra que o rato gigante sobreviveu até cerca de 1000 a 2000 anos atrás, juntamente com a maioria de outros roedores encontrados durante a escavação.

Das 13 espécies de ratos encontradas em Timor-Leste pelos investigadores, onze eram desconhecidas, sendo que oito eram de ratos que pesavam mais de um quilo.

Apenas uma das menores espécies encontradas pelo grupo de arqueólogos é conhecida por ainda hoje sobreviver em território timorense.

De acordo com o biólogo Ken Aplin, a extinção destes ratos terá sido provocada pela desflorestação de grandes áreas florestais em Timor.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.