Arqueólogos chineses descobrem tesouro perdido no século XVI


 

Lusa/Açoriano Oriental   Internacional   14 de Abr de 2017, 16:59

Arqueólogos chineses descobriram um tesouro no fundo do rio Min, no centro do país, que suspeitam pertencer a um antigo líder de uma rebelião, cuja frota se afundou durante uma batalha, informou hoje a agência oficial Xinhua.

 

O tesouro inclui mais de 30.000 objetos, entre os quais mais de 10.000 moedas de ouro e prata, assim como joias, peças de porcelana, armas e objetos de uso quotidiano.

Os objetos foram encontrados no fundo do Min, um dos maiores rios da província central de Sichuan, e "pertencem ao período médio da dinastia Ming", assinalou o diretor do Património Cultural de Sichuan, Gao Delun, citado pela Xinhua.

Os especialistas que anunciaram a descoberta afirmam tratarem-se de objetos que pertenciam a Zhang Xianzhong (1606-1647), antigo líder de uma revolta camponesa contra o império dos Ming, que foi derrotado naquele rio, quando tentava fugir com mais de mil embarcações.

A lenda conta que Zhang, que chegou a conquistar Sichuan e a proclamar-se rei daquela região, tentou fugir com as suas riquezas para o sul da China, mas foi travado pelo exército real, que afundou a sua frota em 1646.

A descoberta parece confirmar aquela lenda.

O tesouro poderá ser maior do que o reportado até agora, já que os responsáveis pelas escavações só examinaram cerca de dois por cento do terreno onde foram encontrados os objetos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.