Aprovado apoio suplementar a doentes oncológicos dos Açores deslocados

Aprovado apoio suplementar a doentes oncológicos dos Açores deslocados

 

Lusa/AO Online   Regional   15 de Abr de 2015, 19:43

O parlamento dos Açores aprovou hoje por unanimidade uma proposta do CDS-PP que cria um apoio suplementar para os doentes oncológicos que têm de sair da sua ilha ou do arquipélago para receber tratamento.

Todos os partidos deram o seu apoio à iniciativa, que foi negociada entre o CDS-PP e os socialistas, que têm maioria no parlamento regional e estão à frente do Governo dos Açores, no âmbito da discussão e aprovação do orçamento da região para 2015.

Com o diploma hoje aprovado, os doentes oncológicos deslocados vão receber um complemento de 20 euros à verba diária atribuída a qualquer residente no arquipélago que tenha de sair da sua ilha ou ir para o continente receber tratamentos ou fazer consultas, por a região não dispor dessa resposta.

Por outro lado, o diploma estabelece que os doentes oncológicos têm sempre direito a levar um acompanhante consigo nas deslocações e que quando saem da sua ilha recebem de imediato um terço da verba a que, previsivelmente, terão direito no global.

O deputado do CDS-PP Artur Lima considerou que este Complemento Especial para o Doente Oncológico - CEDO é "um passo significativo" para "melhorar a qualidade de vida" e "minorar o sofrimento" destes doentes, aqueles que "mais sofrem" e "mais tempo" permanecem fora da sua residência para receber tratamentos.

Antes desta votação, a maioria PS no parlamento regional chumbou, por outro lado, mais uma iniciativa do "pacote social" do PSD. Desta vez, foi a proposta para o alargamento do apoio domiciliário a todos os dias da semana.

A secretária regional da Solidariedade Social argumentou que as instituições dão respostas diferenciadas em função das necessidades dos utentes, havendo muitas que prestam apoios domiciliário todos os dias.

Numa declaração de voto, o deputado João Bruto da Costa, do PSD, considerou que os socialistas, como já fizeram anteriormente, rejeitaram esta proposta só por ter sido apresentada pelos social-democratas, lamentando que, mais uma vez, não tenha sido aprovada uma iniciativa que ajudaria os açorianos "que precisam de ajuda".

Na terça-feira, o PS chumbou outras duas propostas deste pacote social do PSD, considerando que estão já no terreno, por iniciativa do executivo regional, medidas semelhantes e até mais adequadas. Tratava-se da proposta para a criação de uma "rede social local", como a que existe no continente, e para ser reajustado o valor-padrão pago por utente às Instituições Particulares de solidariedade social (IPSS).

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.