Aprovação de Orçamento não é contrapartida à revisão da Constituição

Aprovação de Orçamento não é  contrapartida à revisão da Constituição

 

Lusa/AO Online   Nacional   28 de Ago de 2010, 10:10

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, negou hoje que o partido queira impor ao PS as suas propostas de revisão da Constituição como contrapartida à aprovação do Orçamento do Estado para 2011.

“Fiquei perplexo com essas afirmações [do primeiro ministro], porque ninguém no PSD, nem eu próprio, algum dia colocou tal condição. Pelo contrário, a revisão é um processo longo, porque mexer na lei fundamental não uma coisa que se faça de um dia para o outro, por isso é que não devemos perder muito tempo e quanto mais cedo começar melhor”, afirmou o líder social democrata.

Pedro Passos Coelho falava hoje aos jornalistas à margem da visita que realizou à Feira Agrícola do Vale do Sousa, que decorre em Penafiel.

O presidente do PSD disse esperar que o Governo apresente na Assembleia da República “um Orçamento do Estado que não traga mais impostos e que combata o despesismo”.

“Se estas duas condições estiverem satisfeitas, espero que o Governo possa ter o seu orçamento aprovado, como o país precisa”, observou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.