Aposentados da função pública querem reposição das pensões e aumentos de 4%

Aposentados da função pública querem reposição das pensões e aumentos de 4%

 

Lusa/AO online   Nacional   11 de Set de 2015, 18:22

Várias dezenas de sindicalistas e aposentados da função pública reivindicaram hoje em Lisboa a reposição das pensões cortadas desde 2011 e um aumento de 4% para atenuar a perda de poder de compra dos últimos anos.

 

As reivindicações estão expressas num manifesto aprovado no Rossio, em Lisboa, depois de um debate sobre a situação dos aposentados da administração pública após as medidas de austeridades que lhe foram aplicadas.

"Aprovámos um manifesto em que reivindicamos que se revogue toda a legislação que reduziu as pensões aos trabalhadores da função pública, o alargamento dos escalões do IRS e um aumento de 4% para as pensões", disse à agência Lusa Ana Avoila, coordenadora da Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública, que promoveu a iniciativa.

Segundo a sindicalista, o manifesto, que vai ser entregue aos partidos, tem como objetivo tentar sensibilizá-los para o agravamento das condições de vida dos aposentados.

"As propostas que os partidos têm, sobretudo os maiores, não vão resolver nenhum dos problemas dos aposentados porque os seus programas só têm desgraças para a Segurança social, como o plafonamento para o PSD e a redução da TSU para o PS, que vão reduzir o seu financiamento e, por isso, as pensões vão ser mais baixas", disse Ana Avoila.

Para a coordenadora da Frente Comum, o manifesto aprovado pode ser uma forma de "fazer os partidos refletir sobre o caminho a seguir" nesta área.

"Também aproveitamos esta ação de luta para dizer que o dia 4 de outubro é um dia de luta para todos os trabalhadores da administração pública, que devem votar em quem os defende e não em quem tem no seu programa coisas que vão prejudicar as nossas funções sociais, a nossa Constituição da República e vão reduzir ainda mais as pensões", disse.

Aos participantes no debate que decorreu no Rossio, Ana Avoila lembrou que a degradação das pensões dos funcionários públicos vem desde 2005, com sucessivas alterações ao estatuto de aposentação, embora os cortes e agravamento fiscal se tenham velicado desde 2011.

No manifesto "pelos direitos e dignidade dos aposentados da administração pública" são reivindicadas um total de 11 medidas, entre as quais a devolução dos subsídios de férias e de Natal de 2012, a eliminação da Contribuição Extraordinária de Solidariedade e o fim do encerramento e privatização de serviços públicos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.