Aplicação móvel gratuita pretende aproximar Proteção Civil dos Açores e cidadãos

Aplicação móvel gratuita pretende aproximar Proteção Civil dos Açores e cidadãos

 

LUSA/AOnline   Regional   20 de Mar de 2016, 10:20

A Proteção Civil dos Açores disponibiliza, a partir desta semana, uma aplicação móvel "pioneira no país e muito intuitiva" para aproximar o serviço dos cidadãos, que permite transmitir informações em tempo real, anunciou hoje o presidente.

“Esta aplicação tem a possibilidade de criar uma proximidade maior do serviço com o cidadão numa única aplicação”, afirmou à agência Lusa o presidente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, José Oliveira Dias, acrescentando que, entre outras informações, é possível saber onde fica a farmácia mais próxima, os bombeiros ou pontos de desfibrilação automáticos externos em qualquer uma das nove ilhas.

Denominada “Prociv Azores”, a aplicação móvel, de “descarga rápida e gratuita” para o telemóvel, está em fase experimental desde o dia 14 até terça-feira, iniciando formalmente no dia seguinte. Está feita para ser utilizada por crianças e adultos.

“Têm sido detetadas algumas melhorias a efetuar, mas está a correr muito bem, com bom ‘feedback’ dos açorianos. Já há várias centenas de descargas da aplicação”, referiu José Oliveira Dias, revelando que a aplicação foi concebida por uma empresa da ilha Terceira, onde está sediada a Proteção Civil regional.

Segundo o responsável, a aplicação permitirá consultar o portal da Proteção Civil e registar dados pessoais, o que em caso de acidente contribuirá para uma resposta mais adequada às necessidades do cidadão em termos clínicos.

Por outro lado, nesta região, sujeita a fenómenos sísmicos e onde já ocorreram várias catástrofes, a aplicação vai disponibilizar informação, dando indicações à população do que fazer, para onde se dirigir, que cuidados deve ter, entre outros aspetos.

Qualquer cidadão, descarregando a aplicação, pode também aceder aos avisos meteorológicos, comunicados sismológicos e outro tipo de comunicação e ficar a par de zonas de perigo, derrocadas, cortes de estradas e, em simultâneo, percursos alternativos.

O manuseamento de extintores e a forma de agir em caso de primeiros socorros para vários tipos de situação (desmaios, convulsões, queimaduras, feridas, quedas/acidentes e intoxicações) são outras áreas passíveis de consulta.

Além disso, explica-se o que fazer em caso de incêndios, tempestades, fenómenos vulcânicos ou acidentes com gás.

Salientando tratar-se de uma iniciativa “pioneira no país”, José Oliveira Dias adiantou que já foi contactado informalmente pelo serviço da Proteção Civil da Madeira para saber mais pormenores sobre este sistema.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.