APAV vai ter novas instalações em Ponta Delgada

APAV vai ter novas instalações em Ponta Delgada

 

Lusa/AOOnline   Regional   8 de Mar de 2017, 13:46

A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) vai ter até final do ano novas instalações, em Ponta Delgada, nos Açores, permitindo aumentar a capacidade de atendimento e uma maior confidencialidade neste, foi hoje anunciado.

 

Após a assinatura do protocolo com a Secretaria Regional da Solidariedade Social, que cede um imóvel à APAV, na data em que se assinala o Dia Internacional da Mulher, o presidente da associação, João Lázaro, adiantou que as novas instalações "vão ter os serviços todos integrados”, dispor de mais salas de atendimento, ao invés de uma só como no atual edifício arrendado, e aumentar o espaço para os voluntários.

“Existia a necessidade das instalações terem melhores condições que salvaguardem o trabalho da APAV, quer em número de salas de atendimento a quem é vítima de crime, mas também no trabalho com as escolas na área da prevenção, da formação e na área do apoio telefónico através da linha de apoio à vítima”, referiu o presidente da APAV, estimando que a associação se mude para o novo imóvel até ao final do ano.

A secretária regional da Solidariedade Social, Andreia Cardoso, salientou que a APAV tem assumido "um papel muito importante" no domínio do apoio às vítimas de violência, ao longo dos dez anos de existência da estrutura nos Açores, com sede em Ponta Delgada, ilha de São Miguel.

Andreia Cardoso referiu ainda que o primeiro Plano Regional de Combate a Violência Doméstica e de Género foi implementando pelo Governo dos Açores "com sucesso", acrescentando que o segundo, que está no terreno, tem como "aspetos essenciais o alargamento das parcerias, designadamente com as autarquias locais, associações desportivas e culturais no domínio da prevenção".

“O plano que está em execução desde há dois anos tem como propósito a proximidade com a sociedade civil e um reforço das ações de prevenção à violência doméstica, designadamente a violência no namoro, área que temos dado um enfoco bastante particular”, destacou a governante.

Segundo dados do gabinete de apoio à vítima de Ponta Delgada da APAV, relativos a 2015, foram registados 613 processos de apoio.

"Num total de 494 vítimas diretas, assinalaram-se 910 crimes e/ou outras formas de violência. O trabalho realizado com os utentes da APAV resultou de um total de 2.468 atendimentos", adiantam as estatísticas a que a agência Lusa teve acesso.

Das 494 vítimas de crime que recorreram aos serviços da APAV em Ponta Delgada, 78% eram mulheres, na sua maioria casadas, entre os 25 e os 54 anos (33,4%).

Nesse ano, os crimes contra as pessoas representam 94,3% do total de registos na associação, nomeadamente a violência doméstica (79,2%), realçando alguns crimes em particular fora desta categoria, o do crime de dano (1,1%) e o crime de ‘stalking’/assédio persistente (1,5%).

As denúncias chegaram pelo telefone em mais de 50% das situações e foi, geralmente, o próprio utente a estabelecer o contacto.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.