António Costa considera suspensão de sanções e aprovação do OE "boas notícias"

António Costa considera suspensão de sanções e aprovação do OE "boas notícias"

 

Lusa/AO online   Economia   16 de Nov de 2016, 16:09

O Presidente da República considerou "boas notícias" a aprovação da Comissão Europeia ao orçamento português e a suspensão das sanções a Portugal, na sequência do encontro com a primeira-ministra britânica, Theresa May.

 

"Foi positivo ter verificado que a primeira-ministra tem conhecimento da situação financeira e económica portuguesa e que elogiava essa evolução. Estava tão satisfeita como nós estamos satisfeitos. Isso é um sinal de amizade. Não há nada como os amigos estarem satisfeitos com as boas notícias que são as notícias de hoje no que respeita à aceitação pela União Europeia do orçamento para 2017".

A Comissão Europeia anunciou hoje ter concluído que, em função da "ação efetiva" realizada pelas autoridades nacionais, o procedimento por défice excessivo (PDE) deve ser suspenso e de ter sustentado que o país deverá "respeitar o valor de referência" para o défice orçamental de 3% "este ano".

A Comissão disse hoje também acreditar que os riscos de incumprimento que identificou no plano orçamental português para 2017 "não se materializarão" e saudou os dados sobre crescimento económico conhecidos na véspera.

Marcelo Rebelo de Sousa considerou também "muito positiva a conversa quer em termos bilaterais, da compreensão recíproca entre os dois países", quer em termos daquilo que é fundamental para os portugueses, "que é ser encontrada a melhor solução possível no futuro para a União Europeia, para Portugal e, tanto quanto viável, para o Reino Unido".

A saída britânica da União Europeia (UE) foi um dos temas abordados no encontro de menos de uma hora na residência oficial da primeira-ministra, em Downing Street, durante o qual foram enfatizadas as relações históricas entre os dois países, simbolizadas na observação de uma cópia do Tratado de Windsor, de 1386, retirada dos arquivos nacionais propositadamente para esta ocasião.

O chefe de Estado manifestou o interesse de Portugal em que o processo de saída, denominado ‘Brexit’, seja pacífico, recusando falar de "preocupações", mas antes do "futuro" das relações do Reino Unido com a União Europeia.

"Portugal tem tido ao longo dos tempos um papel importante porque está muito envolvido na União Europeia. Portanto, fará tudo para que, na ótica da UE, esse futuro corra bem. Por outro lado, conhece há muito tempo o Reino Unido. Não é uma relação de hoje, é uma relação secular. E quando as pessoas se conhecem há muito tempo, tal como quando os países se conhecem há muito tempo, facilita o seu relacionamento", vincou.

Marcelo Rebelo de Sousa acrescentou ainda que Theresa May comentou o "apreço pelo papel da comunidade portuguesa" no Reino Unido, que cresceu significativamente nos últimos anos e se estima que ronde atualmente o meio milhão de pessoas.

O Presidente da República iniciou hoje uma visita oficial de trabalho a Londres, que começou por um almoço com potenciais investidores em Portugal e termina com uma receção ao final do dia à comunidade portuguesa na embaixada de Portugal no Reino Unido.

Na quinta-feira, o Presidente visita a artista Paula Rego no seu estúdio de trabalho antes de um encontro pessoal no Palácio de Buckingham com a rainha Isabel II.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.