ANF aprova aumento de capital da Farminvest, de 10 para 100 milhões

ANF aprova aumento de capital da Farminvest, de 10 para 100 milhões

 

lusa   Economia   30 de Mai de 2010, 12:49

A Associação Nacional de Farmácias (ANF) aprovou hoje em assembleia geral o aumento de capital da Farminvest, 'holding' que concentra e gere as participações do universo empresarial da ANF, de 10 para 100 milhões de euros.

"Nesta fase será efetuada uma distribuição gratuita de ações da Farminvest pelos associados da ANF em função da sua antiguidade e das suas contribuições acumuladas ao longo dos últimos 18 anos. O valor nominal de cada ação é de cinco euros", afirma a associação presidido por João Cordeiro, em comunicado.

Está ainda prevista uma nova fase de aumento de capital da empresa, para 180 milhões de euros, por oferta de subscrição particular reservada aos acionistas.

A Farminvest integra as áreas da distribuição, com a Alliance Healthcare, da prestação de cuidados de saúde, com a José de Mello Saúde e a José de Mello Residências e Serviços, e a tecnológica Glintt.

Há duas semanas, um delegado à assembleia geral acusou João Cordeiro de querer desviar para a empresa milhões de euros em ativos da associação, aproveitando-se de informação confidencial sobre farmácias associadas.

"Com o aumento de capital, os associados da ANF nunca vão ter o controlo da Farminvest, que vai acabar nas mãos de um sindicato de acionistas controlado por João Cordeiro", disse à Lusa António Carvalho Pinto, que fez parte da lista de João Ferro Baptista, opositor derrotado de João Cordeiro nas últimas eleições para a presidência da ANF.

Na altura, fonte da ANF disse que o reforço da empresa representa "uma visão para o futuro de todo um setor".

Também na assembleia geral de hoje, que decorreu no Centro de Congressos de Lisboa, foi aprovado com 732 votos a favor, 54 contra e 20 abstenções o "Projecto + Futuro".

O projeto consiste em "aproximar os associados ao universo da Farminvest e envolvê-los na gestão e estratégia desse mesmo universo", afirma a ANF no comunicado.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.