Anafre manifesta solidariedade com ilha Terceira

Anafre manifesta solidariedade com ilha Terceira

 

Lusa/AO online   Regional   6 de Fev de 2015, 18:58

A direção da Associação Nacional de Freguesias (Anafre) manifestou solidariedade com "as populações" da ilha Terceira e os municípios afetados pela decisão dos Estados Unidos de reduzir o contingente que têm na base das Lajes.

 

O presidente da direção nacional da Anafre, Pedro Cegonho, reuniu-se hoje com o presidente do executivo regional dos Açores, Vasco Cordeiro, em Ponta Delgada, tendo dito no final, aos jornalistas, que durante a audiência reiterou e subscreveu as "preocupações" manifestadas numa deliberação recente da delegação da associação na região em relação às Lajes.

Pedro Cegonho manifestou assim, em nome da Anafre, "total solidariedade com as populações e com o Governo Regional", esperando que haja o "melhor desfecho possível para as populações da ilha Terceira e os municípios envolvidos" nesta matéria.

A 19 de janeiro, a delegação nos Açores da Anafre exigiu "a solidariedade do Governo da República" em relação ao impacto que terá a redução da presença norte-americana nas Lajes, sobretudo no concelho da Praia da Vitória.

"Toda esta situação exige, de imediato, e tal como o município da Praia da Vitória tem vindo a advogar desde 2012, um plano de mitigação dos efeitos provocados pela redução da presença dos Estados Unidos da América no concelho da Praia da Vitória", defendeu a delegação regional da Anafre, numa deliberação aprovada por unanimidade.

Pedro Cegonho convidou também Vasco Cordeiro para participar no próximo congresso nacional da Anafre, que se realiza em novembro nos Açores, e elogiou a forma como o executivo regional "acarinha a descentralização e olha as freguesias como um parceiro dessa mesma descentralização", que considerou "um exemplo".

Já Vasco Cordeiro, em resposta a uma questão dos jornalistas, manifestou-se "chocado" com algumas reações de empresários de outras ilhas açorianas em relação a medidas aprovadas pelo executivo regional para a Terceira, com as quais quer tentar responder ao impacto que terá a anunciada redução da presença dos EUA nas Lajes.

Lamentando "o desconhecimento" que demonstraram algumas reações em relação ao que está em causa nessas medidas, Vasco Cordeiro afirmou que "não é esta a região" a que está habituado e que acredita que os Açores são.

"A região a que eu estou habituado é uma região em que, por exemplo, quando há um sismo que afeta uma ilha, todas as outras ilhas acorrem em solidariedade para com ela", afirmou.

Empresários de ilhas como São Miguel ou Pico, em declarações a meios de comunicação locais, criticaram esta semana medidas aprovadas pelo Governo Regional para a Terceira, que passam por majorações de incentivos ao investimento privado ou redução e eliminação de algumas taxas aplicadas à atividade económica, considerando que colocam em desvantagem outras ilhas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.