Aliança com Assad enfraqueceria coligação contra o Estado Islâmico


 

AO/Lusa   Internacional   16 de Nov de 2014, 10:14

O Presidente norte-americano, Barack Obama, disse domingo na Austrália que a coligação internacional que combate o grupo Estado Islâmico (EI) ficaria enfraquecida no caso de uma eventual aliança com o Governo sírio.

 

“Na nossa opinião, fazer uma causa comum com (o Presidente sírio Bashar al-Assad) contra o Estado Islâmico enfraqueceria a coligação”, disse Barack Obama, numa conferência de imprensa, no âmbito da cimeira dos países do G20, na cidade australiana de Brisbane.

Para o Presidente dos Estados Unidos, Bashar al-Assad “perdeu completamente a sua legitimidade aos olhos da maior parte dos países”.

Os Estados Unidos lideram uma coligação de vários países que combatem o Estado Islâmico, grupo que controla grande parte de território norte do Iraque e detém posições na Síria.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.