Algumas zonas sem luz em Rabo de Peixe

Algumas zonas sem luz em Rabo de Peixe

 

Lusa/AO online   Regional   15 de Jan de 2016, 11:33

Algumas zonas da vila de Rabo de Peixe estavam às 11h00 sem energia elétrica devido ao mau tempo.

Fonte da Empresa de Eletricidade dos Açores (EDA) disse que está a ser reposta a normalidade.

Segundo informações EDA, "a linha das Calhetas de Rabo de Peixe, disparou pelas 10:25 locais”, devido "às fortes rajadas de vento que se fazem sentir" e "algumas zonas ficaram sem luz". Não foi especificado o número de clientes afetados.

"É possível que em algumas zonas a eletricidade já tenha sido reposta, mas noutras não", disse a mesma fonte, frisando que o mau tempo "está a dificultar os trabalhos" das equipas que estão no terreno para resolver a situação.

O furacão ‘Alex’ estava às 11:00 locais a 80 quilómetros a sul da Terceira, ilha que tem “uma elevada probabilidade de sofrer o impacto direto do furacão”.

Segundo o meteorologista Carlos Ramalho, da delegação regional dos Açores do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), às 11:00 “o furacão estava a 80 quilómetros a su-sueste da Terceira, deslocando-se para norte, a cerca de 39 quilómetros/hora”.

“Isto significa na próxima hora, no máximo duas horas, um aumento significativo do vento, em especial na ilha Terceira, que tem uma elevada probabilidade de sofrer o impacto direto do furacão”, explicou o responsável.

Carlos Ramalho adiantou que nesta ilha do grupo central “é expectável que o vento médio sopre de 100 a 120 quilómetros/hora e a rajada seja de 150 a 170 quilómetros/hora”.

O meteorologista referiu que “o olho do furacão poderá passar pela Terceira cerca das 13:00, sendo que durante a sua passagem pode haver melhoria temporária do tempo, mas depois agrava novamente”.

O grupo central compreende ainda as ilhas de São Jorge, Faial, Pico e Graciosa.

“Quanto ao grupo oriental [ilhas de Santa Maria e São Miguel], o vento médio já atingiu os 72 quilómetros/hora, o equivalente a uma tempestade tropical, e as rajadas foram na ordem dos 100 quilómetros/hora”, esclareceu.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.