Alegre apela á autoconfiança dos portugueses


 

Lusa/Ao On line   Nacional   22 de Set de 2010, 06:40

 O candidato às eleições presidenciais Manuel Alegre apelou aos portugueses para “acreditarem em Portugal e lutarem contra a descrença”, referindo-se às reações negativas sobre os números da execução orçamental.

“Exorto os portugueses a acreditarem em Portugal e a lutarem contra a descrença, porque parece que há quem esteja interessado em semear a descrença”, afirmou aos jornalistas.

“Acredito na capacidade dos portugueses para resolverem os problemas e acho que não precisamos que haja portugueses a apelar à senhora Angela Merkel ou a fazer pedidos ao Fundo Monetário Internacional [FMI]”, sublinhou.

“Estamos numa situação difícil e infelizmente há pessoas que querem o FMI em Portugal e colocam a ideologia e os interesses acima do interesse nacional”, acusou Manuel Alegre.

O candidato presidencial, que falava à entrada para um jantar com militantes da Federação Regional do Oeste, referia-se às reações negativas que hoje surgiram dos vários partidos sobre os números da execução orçamental.

O Governo anunciou que a despesa do Estado cresceu 2,7 por cento entre janeiro e agosto de 2010, mas continua a "registar uma desaceleração consistente" desde junho.

O comunicado da Direção Geral do Orçamento refere ainda que o crescimento de 2,7 por cento da despesa em termos homólogos está "exatamente em linha com a taxa de crescimento inscrita no Orçamento do Estado para 2010".

Pelo lado da receita, até ao final de agosto, o subsector Estado registou um acréscimo de 3,3 por cento relativamente ao período homólogo, "acima do objetivo de 1,2 por cento inscrito no relatório do OE2010", diz a síntese de execução, cifrando-se em mais 635,5 milhões de euros.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.