Al-Qaeda difunde mesagem de refém italiano para reiterar exigências a Berlusconi


 

lusa   Internacional   28 de Fev de 2010, 11:57

A Al-Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI) difundiu uma mensagem áudio do refém italiano Sérgio Cicala e um comunicado ordenando a Roma que responda às suas exigências para lhe salvar a vida, noticiou hoje o centro dos sites islamitas
A mensagem, intitulada "Apelo do refém italiano ao Governo de (Sílvio) Berlusconi, é acompanhada de uma imagem fixa mostrando um homem apresentado como Sérgio Cicala, de joelhos e sob a guarda de seis homens encapuzados e armados.

Datada de 24 de fevereiro, a mensagem em italiano dura pouco mais de um minuto.

Sérgio Cicala, 65 anos, e a mulher, Philomene Kabouree, 39 anos, estão nas mãos da Al-Qaeda desde dezembro, quando foram raptados na Mauritânia.

Num ultimato difundido no início deste mês, a organização terrorista deu um prazo até março ao Governo italiano para responder às suas exigências.

Os raptores querem não só a libertação de quatro islamitas no Mali, mas também de combatentes detidos na Mauritânia, indicou uma fonte próxima do processo.

Na nova mensagem, o braço magrebino da Al-Qaeda apela aos italianos para fazerem pressão sobre o seu Governo para salvar a vida do casal italiano.

"Repetimos o nosso apelo aos familiares dos reféns e à opinião pública italiana: se prezam a segurança dos reféns, façam pressão sobre o vosso Governo, exigindo-lhe que satisfaça as legítimas exigências dos moudjahidine", dizem no comunicado.

Terça feira, a Al-Qaeda do Magrebe Islâmico libertou o refém francês Pierre Camatte, após três meses de cativeiro no deserto maliano.

O grupo obteve em contrapartida a libertação de quatro islamistas detidos no Mali, que reclamava.

Além do casal italiano, a AQMI sequestrou no Norte do Mali três espanhóis.

Entretanto, um duplo agente da Al-Qaeda que matou sete agentes da CIA e espião jordano foi chamado para a Jihad na Jordânia e ataques nos seus serviços secretos, numa nova mensagem de vídeo.

Humam Khalil Abu Mulal al-Balawi descreve hoje num vídeo de 43 minutos que aparece nos sites da Jihad o seu recrutamento pela agência secreta da Jordânia e como a atravessou duplamente.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.