Agricultores pedem ao Governo dos Açores que insista num reforço de fundos europeus

Agricultores pedem ao Governo dos Açores que insista num reforço de fundos europeus

 

Lusa/AO online   Regional   8 de Mar de 2018, 15:48

O presidente da Federação Agrícola dos Açores (FAA) defendeu hoje a necessidade de o Governo Regional ser "persistente" no reforço financeiro do POSEI junto do Governo da República no quadro financeiro pós-2020 da União Europeia (UE).

“O Governo Regional tem que ser assertivo, dinâmico, consistente e persistente em relação ao Governo da República”, declarou Jorge Rita aos jornalistas, falando na Ribeira Grande à margem de uma sessão de apresentação para agricultores da versão para 2018 do POSEI, programa específico da UE para fazer face às dificuldades permanentes da ultraperiferia.

Considerando que esta é uma “condição obrigatória” para se alcançar o sucesso nas negociações do novo quadro comunitário e, consequentemente do POSEI, Jorge Rita referiu ser necessário estar “muito atento” ao facto de o bolo para a agricultura poder ser único no quadro comunitário 2020-2030 e não contemplar a realidade específica dos Açores.

Para o dirigente agrícola, os Açores e o país na sua totalidade continuam a necessitar de mais apoios financeiros para que se cumpra na região um dos desígnios da UE, o da coesão económica, social e territorial, aproximando assim os açorianos do bem-estar e qualidade de vida europeu.

Já o titular da pasta da Agricultura do Governo dos Açores, que defende também um reforço do POSEI, considerou ser “ainda muito prematuro” falar de garantias por parte do Governo da República de que as pretensões açorianas serão atendidas uma vez que ainda se está “no campo dos cenários”, não existindo uma primeira dotação do orçamento do novo quadro comunitário.

Questionado sobre se haverá peso político para convencer o Governo da República das pretensões da região no capítulo da agricultura, João Ponte respondeu com uma interrogação: “Houve no passado, por que é que não haverá agora?”.

No âmbito da sessão de esclarecimento sobre o POSEI 2018, o governante voltou a reafirmar a necessidade do reforço financeiro do POSEI para compensar os custos adicionais de produção e a distância dos grandes mercados, tendo salientado que as fileiras do leite e carne nos Açores representam cerca de 400 milhões de euros anuais para a economia açoriana.

Já Jorge Rita destacou a importância da agricultura nos Açores, exemplificando que, só por via do POSEI, o setor gera 77 milhões de euros anuais, os mesmos valores do que o turismo, tendo o leite e derivados sido responsáveis por 300 milhões de euros em produtos que saíram da região.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.