Adiamento da alta velocidade representa atraso de quatro anos


 

Lusa / AO online   Economia   8 de Mar de 2010, 11:25

A Federação da Construção não ficou surpreendida com o adiamento por dois anos das linhas de alta velocidade ferroviária Liboa-Porto e Porto-Vigo, mas advertiu que, em termos de execução de obras, este adiamento será, no mínimo, de quatro anos.
O adiamento foi anunciado hoje pelo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, na conferência de imprensa em que apresentou as principais linhas do Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC), mas não surpreendeu a Federação Portuguesa da Indústria da Construção e das Obras Públicas (FEPICOP).

"Não é uma surpresa. Já havia claramente indícios de que estas linhas [Lisboa-Porto e Porto-Vigo] estariam adiadas", disse à agência Lusa o presidente da FEPICOP, Ricardo Pedrosa Gomes.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.