Crime

Activista com ligações a Portugal e a Cabo Verde em prisão preventiva

Activista com ligações a Portugal e a Cabo Verde em prisão preventiva

 

Lusa/AO online   Nacional   3 de Abr de 2010, 23:44

Um juiz espanhol colocou hoje em prisão preventiva o advogado e ativista basco Joseba Agudo, suspeito de ligações a membros da ETA em países como Portugal, Cabo Verde ou Cuba.

O activista basco, conhecido como "Pagoa", foi colocado em prisão preventiva por suspeita de integração na organização terrorista, com base em documentos que ligam o detido a elementos da ETA evadidos na América, África e Europa, segundo a imprensa espanhola. O juiz Fernando Grande Marlaska afirma que Agudo revelou conhecer "com muita exatidão a situação dos membros da ETA que se encontram a residir em Cabo Verde". Segundo o diário El País, afirmou ainda que Agudo acompanha "o estado legal de José Luís Telletxea em Portugal" - um basco residente em Portugal que foi detido em 1996, acusado por Espanha de colaborar com a ETA. Nos documentos citados pelo juiz, o advogado e ativista basco revela conhecer o "protocolo de fuga" dos etarras e levanta a possibilidade de "enviar alguns militantes a terceiros países europeus". Os documentos - apreendidos a um dos líderes da ETA já detidos - mostram ainda que Agudo teve que atrasar um viagem a Cuba, em setembro de 2008, "atendendo a um pedido realizado pelo Governo desse país", segundo escreve o juiz no auto. A Venezuela aparece também citada, com referências a que o ativista basco controlava também militantes da ETA nesse país. Joseba Agudo, advogado do chamado Movimento Pró Amnistia de apoio a presos da ETA, foi detido a 28 de outubro na localidade francesa de Hendaya e entregue na quinta feira às autoridades espanholas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.