Açores voltam a repartir pelas ilhas quota para captura do goraz

Açores voltam a repartir pelas ilhas quota para captura do goraz

 

Lusa/AO online   Regional   4 de Dez de 2015, 16:37

Os Açores retomam em 2016 uma gestão por ilha do total da quota atribuída para captura do goraz, 507 toneladas, uma prática que permitirá fazer uma "gestão inteligente" e próxima dos diferentes contextos das ilhas.

A portaria com os valores da repartição da quota de goraz destinada aos Açores pelas nove ilhas foi publicada no Jornal Oficial da Região Autónoma dos Açores, sendo que nenhuma ilha receberá menos de 1% de quota.

No próximo ano as embarcações de pesca da ilha de S. Miguel vão poder capturar 188.959 quilos de goraz, a Terceira 128.017 kg, o Faial 77.977 Kg, a Graciosa 51.004 Kg, o Pico 19.976 Kg, as Flores 17.998 kg, S. Jorge 9.988 kg, Corvo 8.011 kg e Santa Maria 5.070 kg.

O goraz é uma das espécies com mais alto valor comercial capturado no mar dos Açores, que permite aumentar os rendimentos dos pescadores.

Com esta decisão pretende o Governo Regional vincular cada uma das ilhas a práticas de sustentabilidade e responsabilidade na gestão da captura do goraz, respeitando o histórico de cada uma delas e das respetivas embarcações, por forma a garantir uma repartição “justa e equitativa” da quota total destinada à região.

Presentemente as embarcações que capturam goraz nos Açores pescam em função do total da quota regional, havendo pescadores de algumas ilhas que se queixavam de serem penalizados pelas frotas mais expressivas das ilhas maiores.

Em comunicado a secretaria regional do Mar, Ciência e Tecnologia refere que fixação dos valores por ilha ocorreu após audição dos parceiros do sector, tendo sido utilizados critérios de repartição “transparentes e objetivos”, que respeitam o histórico de captura de cada uma das ilhas, bem como das respetivas embarcações, o impacto ambiental e o contributo para a economia local.

“É necessário fazer-se uma gestão inteligente, mais próximo do contexto da atividade de pesca de cada ilha, com o objetivo de valorizar o pescado e, consequentemente, aumentar o rendimento dos pescadores”, afirmou o secretário regional do Mar, Fausto Brito e Abreu, citado no comunicado, onde acrescenta que a gestão de quotas por ilha para o goraz foi um dos temas debatidos, em abril, durante a reunião do Conselho Regional das Pescas.

Com vista a garantir o uso pleno da quota da região em 2016, o volume máximo de capturas autorizado para cada uma das ilhas dos Açores poderá ser alterado na sequência de acordos entre as associações representativas da frota de pesca de cada uma das ilhas e do registo de capturas efetivamente realizadas ao longo desse ano.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.