Açores vão eletrificar fajã da Caldeira do Santo Cristo mas data é desconhecida

Açores vão eletrificar fajã da Caldeira do Santo Cristo mas data é desconhecida

 

LUSA/AO online   Regional   25 de Mai de 2017, 18:28

A secretária regional da Energia dos Açores garantiu hoje que a fajã da Caldeira de Santo Cristo, na ilha de São Jorge, vai ser eletrificada, mas não avançou uma data para a concretização do investimento

"Estamos nesta fase a estudar, juntamente com a EDA, com a DRE [Direção Regional de Energia] e com a DRA [Direção Regional do Ambiente] a melhor solução para implementar e permitir a eletrificação da fajã do Santo Cristo”, afirmou Marta Guerreiro.

A secretária regional da Energia, Ambiente e Turismo falava aos jornalistas após ser ouvida em reunião da Comissão Permanente de Economia do parlamento regional, que decorreu em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, no âmbito de um projeto de resolução apresentado pelo CDS-PP de eletrificação daquela fajã.

Segundo Marta Guerreiro, considerou-se que a solução que “causa menos impacto visual, menos impacto ambiental, que tem um custo menor e que permite uma adaptação se necessário de futuro é a eletrificação através de cabo na rede de São Jorge que pode, na mesma, ter como fonte energias renováveis”.

A governante adiantou que está planeada para “muito em breve” uma deslocação de técnicos da Empresa de Eletricidade dos Açores (EDA) e da Direção Regional de Energia para avaliar qual o percurso de passagem de cabo que fará mais sentido.

“O que se pretende é dar conforto a quem lá vive de forma permanente ou de forma mais pontual. Não se pretende que esta eletrificação descaracterize aquilo que nós temos neste local ímpar dos Açores e a nível mundial”, declarou, adiantando que “a eletrificação para a iluminação pública não é algo que esteja previsto”.

Sem adiantar valores, a responsável acrescentou não existir nenhuma verba inscrita em Orçamento para este investimento, explicando que se trata de uma obra a executar em conjunto com a Eletricidade dos Açores.

A ilha de São Jorge tem mais de sete dezenas de fajãs, terrenos planos e férteis ao nível do mar que resultaram da acumulação de detritos na sequência de terramotos ou escoadas lávicas de erupções vulcânicas.

A 19 de março de 2016, as fajãs foram classificadas como Reserva da Biosfera pela Unesco - Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura.

Segundo o sítio na Internet Visit Azores, a fajã da Caldeira do Santo Cristo é reserva natural e área ecológica especial.

Considerada um santuário do 'bodyboard' e do surf, é também o único local nos Açores onde se desenvolvem amêijoas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.