Açores vão concessionar propriedade da Grená na margem da lagoa das Furnas

Açores vão concessionar propriedade da Grená na margem da lagoa das Furnas

 

LUSA/AO online   Regional   24 de Mai de 2017, 16:42

Os Açores vão concessionar a propriedade da Grená, na margem da lagoa das Furnas, para turismo, informou hoje a Vice-presidência do Governo Regional após ser questionada pela agência Lusa

"O Governo dos Açores vai concessionar a utilização para fins turísticos, através de concurso público, do chamado prédio Grená, na margem da Lagoa das Furnas”, na ilha de São Miguel, refere a vice-presidência numa nota escrita, adiantando que “os termos do concurso público, que está a ser finalizado, preveem a recuperação deste imóvel e da área envolvente por parte de privados”.

Segundo a vice-presidência, tutelada por Sérgio Ávila, “este concurso integra-se na estratégia de promoção da diversificação do investimento e do reforço da competitividade das atividades económicas da região, nomeadamente no setor do turismo”.

“Esta decisão permite, simultaneamente, além da oportunidade de investimento e negócio numa zona turística privilegiada, a recuperação de património adquirido pelo Estado em 1987 mas que, sem qualquer utilização até a região ter tomado posse do imóvel, se degradou significativamente”, acrescenta.

Hoje, o deputado único do Partido Popular Monárquico no parlamento dos Açores, Paulo Estêvão, entregou um requerimento no qual pergunta ao executivo regional, chefiado pelo socialista Vasco Cordeiro, se contempla a recuperação da Casa da Grená, a data para as respetivas obras de reabilitação e a finalidade prevista para o espaço.

Em agosto de 2015, num despacho publicado em Jornal Oficial, o Governo dos Açores anunciou que iria tomar posse de três imóveis do Estado no arquipélago, um deles a propriedade da Grená, adquirida para ser residência das figuras de Estado que se deslocassem à região.

O prédio Grená inclui um parque densamente arborizado, um curso de água atravessado por uma ponte, um jardim e um palacete construído por um antigo cônsul inglês na década de 50 do século XIX.

Um outro imóvel que passou para a tutela dos Açores na mesma data foi um prédio urbano onde funcionou o antigo posto da Guarda Fiscal na freguesia de São João, nas Lajes do Pico, tendo este sido alienado em hasta pública e “adquirido para efeitos de investimento privado num projeto turístico”, esclarece a Vice-presidência do Governo dos Açores.

A mesma fonte informa estar em “fase de ponderação” o destino a dar ao prédio urbano da rua de Jesus, na freguesia da Sé, em Angra do Heroísmo, Terceira. Neste espaço funcionaram serviços de apoio ao Ministro da República.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.