Açores querem sensibilizar Bruxelas para especificidades da pesca na região

Açores querem sensibilizar Bruxelas para especificidades da pesca na região

 

Lusa/AO Online   Regional   22 de Jul de 2014, 07:36

O secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia dos Açores debateu hoje com o Governo da República formas de "sensibilizar" Bruxelas para "especificidades" da pesca na região e questões como as quotas de algumas espécies.

Fausto Brito e Abreu, que tomou posse há duas semanas, reuniu-se hoje em Lisboa, pela primeira vez, com a ministra e o secretário de Estado que têm a tutela do Mar, Assunção Cristas e Manuel Pinto de Abreu.

Em declarações à agência Lusa, Fausto Brito e Abreu disse que acordou com o secretário de Estado questões relacionadas com a política de pescas, tendo transmitido as "preocupações" do setor manifestadas na reunião do Conselho Regional das Pescas que decorreu na semana passada na ilha Terceira.

Entre essas preocupações está a questão das quotas de pesca de algumas espécies, que os pescadores açorianos consideram serem demasiado pequenas.

Fausto Brito e Abreu e Manuel Pinto de Abreu discutiram, segundo o primeiro, formas "de abordar" a Comissão Europeia e de "a sensibilizar para especificidades da pesca que é praticada nos Açores", que é "muito sustentável", essencialmente "artesanal".

"Concordámos em que temos de organizar o conhecimento que temos e os dados científicos que temos para apoiar as posições que o Governo Regional dos Açores e o Governo da República defenderão junto da Comissão Europeia", acrescentou, reiterando que pretende ir a Bruxelas, provavelmente em setembro, para ter "uma conversa direta com os interlocutores principais na Comissão Europeia" nestas áreas.

Fausto Brito e Abreu destacou, por outro lado, a "total abertura" do secretário de Estado para ser mantido entre os dois "um diálogo e troca de impressões sobre diplomas de forma atempada".

Já com a ministra Assunção Cristas, o governante dos Açores disse ter mantido uma conversa "mais geral e política", que "incidiu muito" sobre a chamada economia azul (relacionada com o mar) e "aspetos de ligação entre as políticas do mar, ciência e tecnologia", tendo abordado, neste caso, as possibilidades da aquacultura.

A este propósito lembrou que "o desenvolvimento tecnológico ligado à aquacultura" e o aproveitamento das águas "de grande qualidade dos Açores" para esse fim são uma área "que interessa" aos dois governos e que consta do programa do executivo regional.

Outro dos assuntos abordado com Assunção Cristas foi a lei de bases de ordenamento e gestão do espaço marítimo, que está em fase de regulamentação.

"Transmiti o empenho especial do Governo dos Açores de participar nessa regulamentação, de conhecer o diploma atempadamente", afirmou, dizendo que houve "toda a abertura" da ministra nesse sentido.

Fausto Brito e Abreu escusou-se, no entanto, a concretizar "nesta fase" que interesses os Açores querem ver acautelados nessa regulamentação, limitando-se a afirmar que "há vários aspetos que são essenciais para a região", que estão em análise, prometendo "contribuir ativamente" para que sejam salvaguardados.

O secretário regional disse ainda que vai reunir-se em breve também com os seus homólogos no Ministério da Ciência.

Hoje reuniu-se ainda com a estrutura de missão para a extensão da plataforma continental, em análise na Organização das Nações Unidas (ONU), a quem deu conta da "boa colaboração" que tem havido com a região autónoma e, em particular, com o Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.