Açores querem diminuir custos globais e tempos de entrega do transporte de carga

Açores querem diminuir custos globais e tempos de entrega do transporte de carga

 

Lusa/AO Online   Regional   17 de Nov de 2016, 19:47

O Governo dos Açores disse hoje que quer diminuir os custos e os tempos de entrega nos mercados exportadores do transporte de carga e garantiu que pretende manter a transportadora aérea SATA na esfera pública.

 

“Quanto ao transporte de carga, os objetivos a que nos propomos passam pela diminuição dos custos globais do sistema e dos tempos de entrega nos mercados exportadores, bem como pela consolidação do transporte de mercadorias interilhas”, afirmou o secretário regional dos Transportes e Obras Públicas, Vítor Fraga, no parlamento regional, na cidade da Horta, ilha do Faial.

Ao discursar no debate sobre a proposta de Programa do Governo Regional para os próximos quatro anos, Vítor Fraga deu conta, no âmbito das infraestruturas portuárias e redes de transporte marítimo internacionais, que o executivo vai promover, “em articulação com os operadores”, a fusão “dos dois terminais marítimos em Lisboa, para centralizar toda a carga movimentada entre aquele porto e os Açores”.

A adequação das rotas de entrada e saída dos principais portos da região e “assegurar da continuidade do serviço de transporte marítimo regular de mercadorias entre as ilhas das Flores e do Corvo, regido por obrigações de serviço público, lançando, para o efeito, o respetivo concurso”, são outras das medidas que Vítor Fraga enumerou.

Neste âmbito, o governante realçou, ainda, a “integração do porto da Praia da Vitória na rede transeuropeia de transportes, como posto de abastecimento de GNL [gás natural liquefeito], e a apresentação de uma candidatura ao ‘Plano Juncker’ para o desenvolvimento deste porto, potenciando o seu papel no transporte de carga entre os continentes europeu e norte-americano”.

Vítor Fraga referiu, igualmente, o “lançamento do concurso para a construção de dois navios de transporte marítimo de passageiros e viaturas, logo que o processo que decorre nas instâncias europeias esteja concluído”, e, quanto ao transporte marítimo de passageiros, sustentou a “afirmação dos Açores como destino de cruzeiros e como destino da náutica de recreio”.

Quanto ao transporte aéreo, depois de uma legislatura marcada pela entrada das companhias de baixo custo na ilha de São Miguel, o governante assegurou que o Governo Regional vai dotar a SATA “dos instrumentos necessários para a sua contínua afirmação nacional e internacional, sem perder o sentido do seu verdadeiro objeto social que é o de servir sempre e cada vez melhor os Açores e os açorianos”.

Vítor Fraga acrescentou que o executivo regional vai prosseguir “com a implementação da Plataforma de Gestão Integrada de Transportes com vista a permitir uma integração bilhética alargada” e desenvolver "novos títulos de transporte com diferentes pacotes de viagens e com viagens intermodais entre o transporte marítimo e terrestre".

No âmbito da construção civil, o secretário regional apontou “a previsibilidade de investimento em obras públicas como valor a preservar no relacionamento com o setor”.

Apoiar a investigação científica e o desenvolvimento tecnológico neste domínio, a criação da Plataforma de Indústria Criativa dos Açores, e promover uma região inclusiva, com o aumento de condições de mobilidade e acessibilidade aos equipamentos e edifícios públicos, são outras dos projetos da Secretaria Regional dos Transportes e Obras Públicas nesta legislatura.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.