Açores querem dar exemplo na UE de como prosperar de forma sustentável

Açores querem dar exemplo na UE de como prosperar de forma sustentável

 

Lusa/AO Online   Regional   24 de Set de 2015, 18:27

O titular da pasta do Mar nos Açores defendeu hoje que o arquipélago tem a obrigação de dar o exemplo na União Europeia (UE), a outras regiões, de como se prosperar, em termos económicos, de forma sustentável.

“Os Açores não têm só o privilégio de ter um mar cheio de recursos e com ecossistemas únicos a nível mundial. Têm também a responsabilidade de os saber manter e de dar uma liderança, pelo exemplo, a outras regiões da Europa, sobre como se desenvolver prosperidade económica em respeito pela responsabilidade desses ecossistemas”, declarou Fausto Brito e Abreu.

O secretário regional falava aos jornalistas na reserva natural do ilhéu de Vila Franca do Campo, na ilha de São Miguel, onde assinalou o Dia Mundial do Mar com alunos do ensino secundário.

Destacando que este é um dia “particularmente importante” para a região, a mais oceânica da Europa, o governante recordou que o presidente do Governo dos Açores destacou esta semana, em Bruxelas, a importância destes espaços para a economia do mar, visando a criação de emprego nas próximas décadas.

Fausto Brito e Abreu realçou o investimento que os Açores têm feito no âmbito da ciência, para a qual o Governo Regional canalizou 280 milhões de euros para atividades ligadas ao mar, ao abrigo do atual envelope financeiro. O valor representa cerca de 20% dos fundos comunitários de que o arquipélago irá beneficiar ao abrigo do quadro comunitário Açores 2020.

Questionado sobre relatos de atividades ilegais no ilhéu de Vila Franca do Campo, o secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia afirmou que não tem “muitos relatos de ilegalidades” e está convicto de que a proximidade de Ponta Delgada e da costa, bem como a Polícia Marítima, tem permitido que a reserva natural seja mais escrutinada do que outras na região.

Fausto Brito e Abreu lembrou o projeto em curso de dotação de câmaras de videovigilância para alguns locais dos Açores, podendo algumas ser fixas e outras móveis, a par de aeronaves não tripuladas para fiscalização, e admitiu, nesse contexto, que o ilhéu de Vila Franca tem todas as condições para ser dotado destes meios.

Numa primeira fase, referiu, as primeiras câmaras vão ser testadas na Caldeira do Santo Cristo, na ilha de São Jorge, noutras zonas na ilha de Santa Maria e no farolim das Formigas.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.