Açores querem 45% do valor da UE que venha ser atribuído ao país pela crise do leite

Açores querem 45% do valor da UE que venha ser atribuído ao país pela crise do leite

 

Lusa/AO Online   Regional   8 de Set de 2015, 06:05

O secretário regional da Agricultura reivindicou que a região deve receber cerca de 45% do montante a ser atribuído ao país no âmbito do pacote de ajuda aos produtores decidido na segunda-feira por Bruxelas.

 

“O Governo dos Açores entende que, na repartição pelos Estados e, depois, dentro de Portugal, pela região, e considerando que esta produz cerca de 30 a 35% do leite nacional e 50% do queijo, bem como a sua ultraperifericidade, a proporção que deve ser desse montante nacional adstrita ao arquipélago será da ordem dos 40 a 45% para se afigurar como uma solução justa”, declarou Luís Neto Viveiros.

O titular dos Açores da pasta da Agricultura reagia na ilha Graciosa, aos jornalistas, à decisão da Comissão Europeia, anunciada hoje, em Bruxelas, do desbloqueamento imediatamente um pacote de ajuda no valor de 500 milhões de euros para apoiar os produtores agrícolas europeus, sobretudo do setor do leite, face às atuais dificuldades.

Desde o desmantelamento do regime de quotas na UE, em abril, que os preços do leite no mercado têm vindo a registar valores muito baixos com a penalização do rendimento dos produtores.

Neto Viveiros considera que esta decisão do executivo comunitário “peca por tardia” e por “ser má”, uma vez que esta questão, na sua opinião, já deveria ter sido resolvida “há muito mais tempo”.

“Não foi por falta de alertas, incluindo do Governo dos Açores, diretamente com o comissário da Agricultura ou através do Governo da República, chamando a atenção para a necessidade de se tomarem medidas urgentes no sentido de reverter a situação que então se vislumbrava”, declarou o governante.

Especificando porque esta é uma “má decisão”, Neto Viveiros afirma que 500 milhões de euros para todo o espaço comunitário é “manifestamente pouco”, o que se traduz na ausência de uma “resposta robusta”, como refere a Comissão Europeia.

O anúncio da ajuda dos 500 milhões de euros teve lugar durante uma reunião extraordinária de ministros da Agricultura da UE, realizada em Bruxelas ao mesmo tempo que milhares de agricultores, sobretudo produtores de leite, se manifestam na capital belga.

De acordo com a Comissão Europeia, o pacote de ajudas agora anunciado visa fazer face às dificuldades de liquidez que os agricultores estão a enfrentar, a estabilizar os mercados e a melhorar o funcionamento da cadeira de fornecimento, assegurando Bruxelas que, quando determinar a distribuição deste envelope, "será dada particular atenção aos Estados-membros e agricultores mais afetados pelos desenvolvimentos de mercado".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.