Açores iniciam até final do ano formação de 60 novas amas

Açores iniciam até final do ano formação de 60 novas amas

 

Lusa/AO Online   Regional   22 de Set de 2017, 19:18

O presidente do Governo dos Açores anunciou hoje que, até ao final do ano, será iniciada a formação que permitirá que 60 novas amas possam iniciar a atividade na região, disponibilizando mais 240 vagas para crianças em quatro ilhas.

“É com gosto que vos posso transmitir que até ao final do ano se vai iniciar a formação para mais 60 amas na nossa região, em várias ilhas, nomeadamente São Miguel, Pico, Faial e Terceira, garantindo, desta forma, mais 240 vagas para crianças nesse tipo de serviço”, disse Vasco Cordeiro.

O chefe do executivo açoriano falava na inauguração da creche "A Joaninha", da Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada, em São Miguel, um investimento de cerca de 800 mil euros com capacidade para acolher cerca de 40 crianças.

O governante destacou a importância das parcerias entre entidades públicas e privadas para "chegar mais longe e de forma mais profunda" a situações que carecem de intervenção.

Salientando que ainda recentemente foram estabelecidas novas regras para o exercício da atividade de amas, Vasco Cordeiro destacou o investimento no desenvolvimento profissional das pessoas que se dedicam a esta atividade.

O presidente do governo açoriano reforçou que a área do apoio à infância e à juventude assume uma importância estratégica para o seu executivo, acrescentando que em 2016 foram investidos mais de 32 milhões de euros no funcionamento e na requalificação de creches, jardins de infância, centros de atividades de tempos livres e centros intergeracionais.

“O panorama da região neste domínio é o de termos um total de cerca de 300 respostas sociais na área da infância e da juventude, espalhadas pelos 19 concelhos e com uma capacidade instalada de mais de 13 mil vagas nas suas diversas valências”, sublinhou.

Este ano, indicou, estão em curso cerca de 12 milhões de euros em investimentos para a requalificação e construção de novas creches e jardins de infância em São Miguel, Faial, Corvo e Terceira.

O presidente do governo açoriano frisou que estes equipamentos vão dar "um forte contributo para a coesão social e territorial da região", mas salientou que na área da infância e da juventude é preciso "redobrar esforços para que, cada vez mais, aqueles que são fenómenos persistentes possam ser eliminados".

O provedor da Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada, José Francisco Silva, salientou a importância do equipamento hoje inaugurado, que vai acolher crianças dos 03 meses aos 03 anos e ampliar a capacidade de resposta nesta área.

Lembrando que a Santa Casa da Misericórdia é uma instituição centenária, o provedor referiu que esta tem diversificado a sua atividade, dispondo de valências destinadas a cuidados continuados, ensino profissional, estabelecimentos de apoio à infância, acolhimento de idosos e apoio domiciliário, entre outras.

No seu discurso, o responsável referiu-se ainda à necessidade de recuperação do imóvel sede da Misericórdia que funciona no antigo Hospital de Ponta Delgada, no centro da cidade.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.