Açores esperam de novo embaixador dos EUA consciência da importância da base para relações

Açores esperam de novo embaixador dos EUA consciência da importância da base para relações

 

Lusa/AO Online   Regional   28 de Jun de 2017, 08:51

O presidente do Governo dos Açores disse hoje esperar que o novo embaixador dos Estados Unidos em Lisboa esteja consciente da importância que a base das Lajes tem nas relações entre aquele país e Portugal.

“O que eu espero para já é que ele possa ser rapidamente confirmado pelo Congresso dos Estados Unidos, que possa entrar em funções, que possa conhecer os assuntos que naturalmente lhe serão transmitidos pela embaixada, no sentido de estar consciente da importância que este assunto tem para as relações entre os Estados Unidos e Portugal”, afirmou Vasco Cordeiro.

O chefe do executivo regional falava aos jornalistas no Palácio de Santana, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, após ter recebido os deputados da Comissão de Defesa Nacional da Assembleia da República, que hoje terminaram uma visita de dois dias à região, onde se deslocaram a várias infraestruturas militares e reuniram com parlamentares da Assembleia Legislativa dos Açores.

Hoje, o ministro dos Negócios Estrangeiros disse na Assembleia da República que Portugal já deu o acordo para a entrada de funções do novo embaixador dos Estados Unidos em Lisboa, depois da saída do diplomata Robert Sherman.

"Os norte-americanos já pediram e Portugal já concedeu o 'agrément' para o novo embaixador dos Estados Unidos em Lisboa", revelou hoje Augusto Santos Silva durante uma audição sobre a base das Lajes, nos Açores, pedida pelo PSD, na comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas.

O chefe da diplomacia portuguesa referiu que Portugal "pertence, aliás, ao pequeno grupo dos primeiros países em que os Estados Unidos iniciaram formalmente o processo de nomeação dos respetivos embaixadores".

Segundo um comunicado publicado na semana passada na página da Casa Branca, os EUA indicaram o empresário George Edward Glass para a embaixada em Lisboa.

Glass, proprietário e administrador de uma empresa do setor imobiliário em Lake Oswego, Oregon, sucede a Robert Sherman, que havia sido indicado pela administração de Barack Obama e que saiu do posto no dia da posse de Donald Trump como Presidente norte-americano, a 20 de janeiro.

Em 1995, Portugal e os Estados Unidos da América assinaram, em Lisboa, o Acordo de Cooperação e Defesa. Esse documento inclui também o acordo técnico, que regulamenta a utilização da base das Lajes e outras instalações militares portuguesas, e o acordo laboral, que regula a contratação de trabalhadores nacionais na base açoriana.

O protocolo criou a comissão bilateral permanente, que ficou incumbida de promover a sua execução e a cooperação entre os dois países.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.