Açores e Cruz Vermelha assinam protocolo para teleassistência no aquipélago

Açores e Cruz Vermelha assinam protocolo para teleassistência no aquipélago

 

LUSA/AO online   Regional   26 de Mai de 2017, 17:50

O Governo dos Açores e a Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) assinaram hoje um protocolo de cooperação para disponibilizar teleassistência, fixa e móvel, nas nove ilhas do arquipélago, serviço que deverá beneficiar 300 idosos até ao final do ano

As candidaturas podem ser feitas a partir de junho, sendo que a instalação do primeiro equipamento está prevista para o mês seguinte.

Com o acordo hoje estabelecido é assegurado o acesso gratuito ou a custos reduzidos ao serviço de teleassistência prestado pela CVP, concebido para dar resposta personalizada e imediata em situações de insegurança, urgência ou emergência.

O serviço permite ainda dar apoio na solidão e a “todos os que se encontrem em situação de vulnerabilidade ou dependência, seja por idade, doença, incapacidade ou isolamento, ou a pessoas autónomas que desejem sentir-se mais seguras”.

Na assinatura do acordo, nos Mosteiros, freguesia rural do concelho de Ponta Delgada, perante cerca de uma centena de idosos, o presidente da CVP, Luís Barbosa, considerou que a teleassistência tem uma “enorme utilidade para quem pode precisar, de um momento para o outro, de uma ajuda”.

“Há um outro ponto em que estamos a fazer imensos esforços para fazer progredir, de também ter socorristas voluntários que possam ajudar em qualquer momento alguém que necessite”, explicou.

Segundo Luís Barbosa, estes socorristas podem “ser de uma extrema utilidade”, pois às vezes “os tempos para agir são curtos e é preciso que a proximidade exista para que ela possa ser utilizada com muita utilidade”.

Já o presidente do executivo regional, Vasco Cordeiro, assinalou que com este protocolo se cumpre uma proposta do programa do Governo, considerando que esta medida visa “proporcionar um maior nível de conforto, de segurança, de tranquilidade a cada um daqueles que utilize o serviço de teleassistência”.

Agradecendo à CVP por se ter disponibilizado para ir ao encontro desta vontade do executivo açoriano para que todas as ilhas tenham 365 dias por ano e 24 horas por dia este serviço, Vasco Cordeiro assinalou que é “mais um exemplo" da aposta e do investimento que o Governo Regional tem “feito na criação de um conjunto de serviços destinados aos idosos”.

A este propósito, exemplificou as infraestruturas físicas, o complemento regional de pensão ou o apoio à aquisição de medicamentos.

“Assumimos esse objetivo e essa tarefa não apenas porque decorre da natureza das circunstâncias, mas assumimo-lo como o cumprimento de um dever que sentimos ser nosso para com aqueles que, ao longo da sua vida, nas mais diversas ocupações (…), contribuíram também para a nossa região”, acrescentou.

Em março, no parlamento regional, na Horta, ilha do Faial, Vasco Cordeiro anunciou a criação deste serviço em colaboração com a CVP, no encerramento do debate parlamentar das propostas de Plano e Orçamento regionais para 2017.

Na ocasião, Vasco Cordeiro citou um estudo, realizado em 2015 pela Direção Regional da Solidariedade Social, de caracterização dos utentes de apoio domiciliário, segundo o qual “36% dos inquiridos viviam sozinhos, sendo que cerca de 20% necessitavam de apoio na higiene pessoal, tarefas de vida quotidiana e na mobilidade, e 24% encontravam-se totalmente dependentes para a satisfação de necessidades básicas”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.