Acordo prevê limitar aquecimento global a 1,5 graus celsius

Acordo prevê limitar aquecimento global a 1,5 graus celsius

 

LUSA/AO Online   Internacional   12 de Dez de 2015, 14:18

A presidência francesa da Cimeira de Paris apresentou hoje aos representantes de 195 países presentes o projeto de acordo final sobre alterações climáticas, que visa conter o aquecimento global abaixo dos 2 graus celsius e limitá-lo aos 1,5.

O ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Laurent Fabius, anfitrião da cimeira, propôs um acordo climático "juridicamente vinculativo", que prevê uma verba de 100 mil milhões de dólares (90,9 mil milhões de euros) por ano para os países em desenvolvimento a partir de 2020. "Este projeto de acordo é justo, duradouro, dinâmico, equilibrado e juridicamente vinculativo", disse o ministro dos Negócios Estrangeiros francês no seu discurso, mantendo-se de pé na tribuna, com a mão sobre o peito e fortemente aplaudido com as delegações de pé. Fabius afirmou que "o projeto confirma o objetivo central, até mesmo vital, de conter o aumento da temperatura média bem abaixo dos 2° celsius e esforça-se para limitar o aumento aos 1,5° celsius, o que permitirá reduzir significativamente os riscos e impactos relacionados com as alterações climáticas". Quanto aos 100 mil milhões de dólares prometidos pelo Norte ao Sul, para a aplicação das suas políticas climáticas, Fabius disse que o mesmo "deve ser um passo para o pós-2020", data da entrada em vigor do acordo aguardado em Paris. Além disso, adiantou que deverá ser definido um novo objetivo o mais tardar em 2025. "Se for adotado, este texto será um ponto de viragem histórico. Estamos quase no final do caminho e, provavelmente, no início de um outro", disse Laurent Fabius, na sessão plenária, com a voz embargada e quase em lágrimas, depois de ter agradecido ao seu antecessor Manuel Pulgar-Vidal e repetidamente aplaudido pelos delegados que se levantaram para cumprimentá-lo. O anfitrião apelou ainda aos países para que "não deixem passar a oportunidade que lhes é oferecida", convidando-os ainda a reunirem-se às 14:45 de Portugal (15:45 em França). O Presidente da COP21, nome pela qual ficou conhecida a cimeira das Nações Unidas sobre o clima, presidiu cerca de uma quinzena de conversações em Paris que terminaram hoje com negociações durante toda a noite e conseguiu entregar o acordo aos ministros, que agora decidirão se o aprovam ou não.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.