Segurança

Acidentes rodoviários causaram morte a mil crianças nos últimos 12 anos


 

Lusa/AO online   Nacional   13 de Out de 2010, 18:51

Cerca de mil crianças morreram em acidentes rodoviários em Portugal nos últimos 12 anos, tendo-se registado uma diminuição de óbitos superior a 70 por cento nesse período, divulgou esta quarta-feira a Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI).
No Dia Europeu da Segurança Rodoviária, que hoje se assinala, a APSI revelou os números de “mortes precoces e evitáveis” nas estradas portuguesas: mil crianças perderam a vida nos últimos 12 anos e por cada uma delas 130 ficaram feridas.

“Este tipo de acidentes continua a ser a maior causa de morte na infância e adolescência”, sublinhou Sandra Nascimento, dirigente da APSI.

De acordo com a avaliação feita desde 1998, o número de crianças que morreram na sequência de um acidente rodoviário tem vindo a diminuir de forma significativa: 420 crianças até aos 17 anos mortas no triénio 1998/2000 e 115 no período 2007/2009, ou seja, uma diminuição de 73 por cento.

Segundo a APSI, no triénio 2007/2009 morreram, em média por ano, pelo menos 38 crianças até aos 17 anos, 359 sofreram ferimentos e 4630 ferimentos ligeiros.

“Isto significa que todos os dias – como hoje Dia Europeu da Segurança Rodoviária - 14 crianças são vítimas de um acidente rodoviário em Portugal: oito passageiras, quatro como peões e duas enquanto condutoras”.

A APSI sublinha que quase metade das mortes aconteceu no grupo das crianças com mais de 14 anos (45 por cento).

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.