Acelerada retirada dos 11 mil habitantes de Ambae por ameaça do vulcão em Vanuatu


 

Lusa/AO online   Internacional   2 de Out de 2017, 11:06

As autoridades de Vanuatu aceleraram o processo de retirada obrigatória, até sexta-feira, dos cerca de 11.000 habitantes da ilha de Ambae devido à grande erupção vulcânica 150 quilómetros a sul, que ameaça agravar-se.


O Governo em Port-Vila, capital do arquipélago com 80 ilhas e com cerca de 270 mil habitantes, está a disponibilizar todas as embarcações possíveis para retirar as pessoas para três ilhas vizinhas, tarefa que, para um país com as características de Vanuatu, "é uma operação muito grande", tal como disse Joe Cropp, porta-voz da Cruz Vermelha.

O vulcão Manaro Voui tem estado em atividade há várias semanas, mas há alguns dias que tem enviado para a atmosfera dezenas de milhares de rochas incandescentes que, a par de cinzas e da lava, têm atingido várias localidades da ilha, centena e meia de quilómetros a norte da capital Port-Vila.

Segundo a Cruz Vermelha, se o processo continuar a este ritmo, as operações de retirada devem ficar concluídas até quarta-feira.

Os habitantes estão a abandonar a ilha em barcas com capacidade para poucas centenas de pessoas e de pequenos "ferries" que podem transportar também cerca de duas ou três dezenas.

"Tudo se passou ordeira e pacificamente. As pessoas perceberam que devem partir e são muito pacientes", sublinhou Joe Cropp.

Até agora, acrescentou, os esforços estão concentrados na retirada, mas será necessário, rapidamente, reforçar a ajuda aos centros de acolhimento entretanto criados nas três ilhas para onde estão a ser transportados.

A este propósito, Joe Cropp indicou que é aguardada quarta-feira a chegada de um navio australiano com água e víveres para os afetados.

"Condomínio" franco-britânico até à independência, em 1980, Vanuatu é um dos países mais pobres do mundo, situando-se sobre a chamada "Cintura de Fogo" do Pacífico, onde a atividade vulcânica é grande e a colisão das placas tectónicas provoca frequentes sismos.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.