Ação dos deputados do PS eleitos pelos Açores de "grande cumplicidade" com Governo Regional

Ação dos deputados do PS eleitos pelos Açores de "grande cumplicidade" com Governo Regional

 

Lusa/AO online   Regional   28 de Set de 2017, 17:20

O deputado do PS Carlos César disse que a ação dos parlamentares do partido eleitos pelos Açores tem sido de "grande cumplicidade" com o Governo Regional, liderado pelo socialista Vasco Cordeiro.

"Neste segundo ano de mandato parlamentar, tal como no primeiro, a ação dos deputados à Assembleia da República tem sido de grande cumplicidade com o Governo Regional e tem permitido que, em áreas muito diversificadas, quer da presença de serviços do Estado na região, quer do relacionamento entre o Governo Regional e o Governo da República, tenham sido superados [problemas] com sucesso", afirmou Carlos César.

O deputado falava aos jornalistas em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, numa conferência de imprensa para fazer o balanço do ano parlamentar, onde estiveram também os deputados Lara Martinho e João Castro, numa conferência que sucedeu a um conjunto de deslocações que efetuaram a várias ilhas esta semana.

Carlos César, também presidente do grupo parlamentar do PS na Assembleia da República, adiantou que os deputados trabalham "para que haja respostas em todos os setores", salientando que o têm conseguido.

"Há um conjunto de questões de natureza conjuntural em que somos chamados a intervir e outra que tem a ver com uma certa rotina que nos compete monitorizar. É o caso dos serviços do Estado e das funções de soberania na região", exemplificou.

Segundo o deputado, no caso das Forças Armadas, foi possível confirmar "um reforço significativo de investimento, particularmente na componente relativa à intervenção nas ações que incluem a Zona Económica Exclusiva e a zona de extensão da plataforma continental, com especial ênfase no caso da Marinha, mas também da Força Aérea".

Já no âmbito das forças de segurança, Carlos César considerou que o número de efetivos da PSP -- 975 - é "adequado às condições de intervenção" desta força policial no arquipélago, embora tenha reconhecido "necessidades prementes" nesta área.

O parlamentar apontou o caso do Corvo, "onde não existem instalações e onde os agentes da PSP estão alojados num alojamento local", acrescentando a esquadra da Ribeira Grande, que "tem uma situação mais crítica", mas com "uma orçamentação de um milhão de euros" para iniciar obras.

"Portanto, essa atenção é aquela que seguimos mais de perto, dos serviços do Estado na região, e é isso que nos compete fazer", sustentou Carlos César, referindo, por outro lado, que, "sendo deputados de um partido que exerce funções de Governo" na região e no país, fazem "um acompanhamento quase diário da interlocução entre o Governo Regional e o Governo da República".

Para o deputado, trata-se de uma "interlocução essencial no sentido de dar mais força ao lado da região quando são matérias que envolvam maior complexidade negocial".

"Temo-lo feito com sucesso nos orçamentos do Estado, na inserção de ações que julgamos mais momentosas e também em alguns dossiês que têm maiores pendências e maiores dificuldades", como a construção do novo estabelecimento prisional de Ponta Delgada, afirmou Carlos César.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.