A última coisa que os açorianos precisam é de substituir norte-americanos por chineses diz BE

A última coisa que os açorianos precisam é de substituir norte-americanos por chineses diz BE

 

Lusa/AO online   Regional   13 de Out de 2016, 12:10

A coordenadora regional do BE e candidata a deputada nas eleições de domingo nos Açores afirmou esta quinta-feira que a última coisa que os açorianos precisam é de substituir os norte-americanos por chineses na base das Lajes, na ilha Terceira.

 

"Nós temos tido um amo na base [aérea] das Lajes que é a administração norte-americana, a última coisa que os açorianos e as açorianas precisam é de substituir o amo, passar dos norte-americanos para os chineses", disse Zuraida Soares.

O primeiro-ministro, António Costa, admitiu na quarta-feira em Macau que a base aérea das Lajes pode ser usada pela China se os Estados Unidos não renovarem o acordo de exclusividade, mas apenas para fins científicos e não militares.

"Temos um acordo com os Estados Unidos, e queremos continuar com esse acordo, mas respeitamos a decisão" dos norte-americanos, disse António Costa numa entrevista difundida pela agência de informação financeira Bloomberg.

Ressalvando que os chineses serão bem-vindos como qualquer outro povo e outro país aos Açores, Zuraida Soares reafirmou aos jornalistas durante uma ação de campanha eleitoral: "Nós não queremos mais amos, nós queremos ser donos daquilo que é nosso, gerir aquilo é nosso, em nosso favor, não em nome de interesses que não têm nada a ver com a nossa região".

Nesse sentido, o BE promete que uma das primeiras propostas que fará no novo parlamento regional que sair das eleições de domingo será uma proposta de alteração do Estatuto Político-Administrativo dos Açores para que esta região, "de uma vez por todas, tenha a última palavra sobre aquilo que é seu".

A candidata pelo círculo eleitoral de São Miguel, que elege 20 dos 57 deputados do parlamento regional, Zuraida Soares desafiou os restantes partidos na Assembleia Legislativa dos Açores e na Assembleia da República a aprovarem este anteprojeto de lei.

"Nesse momento é que os açorianos e as açorianas verão quem é está do lado dos Açores e quem está do lado de submissões que não têm nada a ver com a região", advertiu.

A candidata falava durante uma visita a uma feira agrícola, em Santana, concelho da Ribeira Grande, onde os agricultores vêm vender os seus produtos.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.