Açores/Eleições

"A minha demissão não se coloca" se perder

"A minha demissão não se coloca" se perder

 

Lusa/AO Online   Regional   30 de Set de 2016, 06:13

O candidato do PSD a presidente do Governo dos Açores e líder regional do partido disse hoje que a questão da sua demissão não se coloca se perder as eleições regionais, nas quais concorre por São Miguel.

 

“Isso é uma questão que não se coloca. Em primeiro lugar, porque eu, desde o primeiro momento, disse que em 2017, ganhando ou perdendo as eleições, continuaria candidato a presidente do PSD/Açores”, afirmou Duarte Freitas em entrevista à agência Lusa, declarando-se convicto de que o partido vai ganhar as eleições.

Segundo Duarte Freitas, o PSD vai sair vitorioso a 16 de outubro porque tem “um projeto forte, alternativo e exemplos”, como o caso da liberalização parcial dos transportes aéreos para a região.

Questionado sobre o facto de a sua liderança no PSD/Açores só ter somado derrotas eleitorais (autárquicas, europeias e legislativas nacionais), Duarte Freitas respondeu que “não foram assim tantas”, para acrescentar “foram menos de um quinto daquelas que Carlos César teve antes de ser presidente do Governo (Regional)”.

“Carlos César perdeu 13 atos eleitorais antes de ser presidente do Governo, eu penso que já tinha a perder os que perdi e, portanto, aqueles de agora para a frente é para ganhar”, realçou o candidato, de 50 anos, natural da ilha do Pico.

Segundo o cabeça de lista, “o partido está muito solidário, muito unido, renovado e aberto” e soma “mais dois mil novos militantes” desde que é presidente do partido, recusando ter “trocado” o Pico por São Miguel, onde há quatro anos encabeçou a lista pela ilha montanha.

“Eu não troco ilha nenhuma por nenhuma outra, eu sou um açoriano de todas as ilhas, foi assim quando estive em Bruxelas. Nunca essa questão se colocou e para mim não se coloca. Todas ilhas têm o mesmo valor, a mesma dignidade, a mesma capacidade”, disse.

À pergunta sobre se o PSD/Açores continua associado à imagem de austeridade decorrente da governação PSD/CDS-PP na República, Duarte Freitas rejeitou.

“Os cidadãos distinguem claramente qualquer ato eleitoral. Certamente houve medidas positivas e negativas como há em qualquer Governo, mas talvez a medida mais importante dos últimos dez ou 15 anos para a economia dos Açores foi tomada pelo Governo liderado pelo PSD a nível nacional, para a qual eu e o PSD/Açores muito contribuímos”, declarou, apontando a liberalização do espaço aéreo.

Para Duarte Freitas, “o que os açorianos têm hoje desse Governo é um enorme ‘boom’ no turismo e nos transportes aéreos”, e isso “é algo que vai marcar para todo o sempre a governação da República do anterior Governo”.

“Fico muito feliz por o Governo da República ter levado à frente essa medida, ter conseguido vergar o Governo Regional dos Açores que não a queria, embora agora se vanglorie dela”, acrescentou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.