754 militares detidos por ligação à tentativa de golpe na Turquia


 

Lusa/AO online   Internacional   16 de Jul de 2016, 09:50

Um total de 754 militares foram detidos por estarem ligados à tentativa de golpe de Estado de um grupo de soldados rebeldes na Turquia, que o governo já disse que fracassou, mas que fez pelo menos 60 mortos, noticiou a agência noticiosa Anadolu.

 

Além disso, cinco generais e 29 coronéis foram demitidos das suas funções na sequência de uma ordem do ministro do Interior, Efkan Ala, de acordo com a agência pró-governamental.

O Governo e os serviços secretos dão há horas a tentativa de golpe como fracassada, embora admitindo que permanecem bolsas de resistência.

O primeiro-ministro, Binali Yildirim, anunciou entretanto a nomeação de um novo chefe das Forças Armadas interino, Ümit Dündar, para substituir o general Hulusi Akar, que as autoridades turcas pensam ter sido feito refém pelos golpistas.

Segundo o mais recente balanço, feito pela Procuradoria turca, pelo menos 60 pessoas morreram esta noite no país no decurso da tentativa de golpe.

Entre os mortos estão 17 polícias, vítimas de um ataque em Gölbasi, em Ancara, a um edifício de uma unidade de elite policial.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.