Liderança do PSD

Castanheira de Barros propõe criação de Presidente das Regiões Autónomas

Castanheira de Barros propõe criação de Presidente das Regiões Autónomas

 

Lusa / AO   Regional   3 de Set de 2007, 19:01

O advogado Castanheira de Barros, candidato à liderança do PSD, defendeu hoje em Angra do Heroísmo “a criação do cargo de Presidente das Regiões Autónomas em substituição do Representante da República”.
“Deve ser uma personalidade eleita pelos açorianos e madeirenses a quem seriam cometidas as competências atribuídas actualmente ao Representante da República, nomeadamente o veto político em relação às deliberações da Assembleia Legislativa Regional”, explicou.

Castanheira de Barros justificou a sua posição com o objectivo de “acabar com o tratamento de menoridade que é dado aos açorianos e madeirenses, que não precisam de um Representante da República, porque são suficientemente responsáveis para cumprirem a constituição”.

O candidato falava numa conferência de imprensa em Angra do Heroísmo por onde iniciou uma visita de dois dias ao arquipélago para contactos com os militantes social-democratas e um encontro com o presidente do PSD/Açores, Costa Neves, no âmbito das eleições para presidente do PSD que decorrem a 28 de Setembro.

Castanheira de Barros propôs-se ainda a “reivindicar o alargamento dos poderes do Comité das Regiões “ sustentando que é um organismo com “competências restritas cujos pareceres são apenas opinativos mas necessitam de ter outra força”.

Escusou-se, porém, a revelar as suas propostas naquele sentido alegando que serão primeiro apresentadas e discutidas com os militantes regionais.

Prometeu igualmente reforçar as autonomias “mas em diálogo com os responsáveis locais para evitar ensinar a missa ao padre” e a criar “um Centro de Formação Política Permanente para que no futuro o partido seja mais aberto e próximo da sociedade”.

Castanheira de Barros defendeu “um combate com vigor aos erros da actual governação socialista no país, falando a verdade e admitindo os erros que se cometem porque os políticos são humanos e, por isso, também erram”.

“Eu sigo mais o exemplo do Sócrates [filósofo grego] que disse “só sei que nada sei”, do que o exemplo do Sócrates (primeiro-ministro português) que “só sabe que tudo sabe”.

Na ocasião Castanheira de Barros acusou “os outros candidatos (Luís Marques Mendes, e Luís Filipe Menezes) de quebrarem o compromisso de não terem atitudes eleitoralistas na festa do Pontal (Algarve)”.

“Não cumpriram e, por isso, desrespeitaram o partido e os seus militantes, o que indica que um dia também não respeitarão os eleitores”, disse ainda o candidato social-democrata.

Castanheira de Barros mantém hoje encontros com militantes do PSD e com dirigentes da Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo.

No domingo, em Ponta Delgada, encontra-se com os militantes, responsáveis da Câmara do Comércio local, visita uma escola de hotelaria e reúne-se com a presidente da câmara municipal, Berta Cabral, militante social-democrata.

Para além de Castanheira de Barros estão na corrida à liderança do PSD, que se disputa nas directas a 28 de Setembro, Luís Marques Mendes, actual presidente do partido, e Luís Filipe Menezes, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia.

As ilhas representam para os candidatos 8.200 militantes com direito a voto nos Açores e 5.500 na Madeira.

As directas foram antecipadas devido aos maus resultados do PSD nas eleições intercalares para a Câmara de Lisboa, a 15 de Julho.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.