Incêndios florestais

Fogos em floresta e mato destroem 12.188 hectares

Fogos em floresta e mato destroem 12.188 hectares

 

Lusa / AO   Nacional   4 de Set de 2007, 21:46

Os incêndios florestais destruíram, entre Janeiro e Agosto, 12.188 hectares, e não 12.275 hectares, como anteriormente anunciou a Direcção-Geral dos Recursos Florestais, que anulou e substituiu o relatório provisório dos fogos divulgado.
A Direcção-Geral dos Recursos Florestais (DGRF) divulgou às 14:12 um primeiro relatório provisório sobre os incêndios florestais, mas às 17:35 anulou e substituiu o documento, apresentando algumas alterações de números.

Assim, nos primeiros oito meses deste ano, registaram-se 7.081 ocorrências de fogo (986 incêndios florestais e 6.095 fogachos), que consumiram uma área total de 12.188 hectares, sendo 6.583 hectares de povoamentos florestais e 5.605 hectares de matos.

Os maiores valores de área ardida verificam-se nos distritos de Santarém (2.328 hectares) e Beja (2.301 hectares), indica também a DGRF.

O maior número de incêndios florestais ocorreu em Vila Real e Braga (116 e 109, respectivamente), enquanto Porto e Lisboa são os dois distritos mais afectados por fogachos, o primeiro com 1.141 e o segundo com 733.

Até 31 de Agosto registaram-se 3.465 hectares de área agrícola ardida, sendo Santarém o distrito mais afectado neste domínio (1.137 hectares).

Quando comparados os registos deste ano com os valores médios apurados no quinquénio anterior, verifica-se que houve menos 14.407 ocorrências de fogo e arderam menos 183.624 hectares.

 Os valores deste ano correspondem a 33 por cento e 6,2 por cento dos valores médios das ocorrências de fogo e área ardida do último quinquénio, indica igualmente o novo relatório da DGRF, o qual abrange as fases Alfa, Bravo e Charlie (esta ainda em curso) de combate aos incêndios florestais.

Das análises mensais de 2007 decorre que o número de fogos registados é sempre inferior aos valores médios mensais em cada um dos cinco anos anteriores.

"Esta diferença é expressiva desde Junho, onde em três meses se verificaram menos 8.902 ocorrências que as respectivas médias. No mês de Agosto a área ardida contabilizou menos 111.621 hectares que a média dos cinco anos anteriores", refere a DGRF.

Este ano ocorreram grandes incêndios (com área ardida igual ou superior a 100 hectares) apenas no período de "maior perigosidade", a fase Charlie, que começou a 01 de Julho e termina a 30 de Setembro.

Foram 16 os grandes incêndios, cuja área ardida (7.553 hectares) corresponde, aproximadamente, a 61,9 por cento do total.

O maior incêndio, até 31 de Agosto, ocorreu em Sardoal, distrito de Santarém, com uma área de 1.864 hectares.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.