Deportado por Islamabad

Nawaz Sharif chega à Arábia Saudita

Nawaz Sharif chega à Arábia Saudita

 

Lusa / AO   Internacional   10 de Set de 2007, 15:37

O antigo primeiro-ministro paquistanês Nawaz Sharif chegou hoje a Jeddah, na Arábia Saudita, depois de ter sido deportado do Paquistão, onde regressara após sete anos no exílio.
Um diplomata na Arábia Saudita, que pediu para que o seu nome e nacionalidade não fossem divulgados, disse à agência Associated Press que Sharif foi recebido no aeroporto de Jeddah por funcionários sauditas, quando o avião que o transportou de Islamabad aterrou naquela cidade portuária.

Sharif partiu depois para um local não especificado numa coluna automóvel que foi vista a sair do aeroporto em grande velocidade.

As autoridades paquistanesas deportaram Nawaz Sharif para a Arábia Saudita cerca de quatro horas depois de ter chegado a Islamabad proveniente de Londres, após um exílio de sete anos.

Ao desembarcar em Islamabad, Sharif foi detido e acusado de corrupção, mas foi depois levado para um avião que o transportou para Jeddah.

O governo de Sharif foi derrubado pelo actual presidente paquistanês, general Pervez Musharraf, num golpe de Estado em 1999.

Em 2000, Sharif foi enviado para o exílio na Arábia Saudita depois de ter sido condenado por terrorismo e rapto no Paquistão, na sequência do golpe liderado por Musharraf.

No âmbito de um alegado acordo com Musharraf, Sharif terá prometido ficar no exílio durante 10 anos, mas o ex-primeiro-ministro negou a existência desse acordo.

No avião em que viajou de Londres para Islamabad, Sharif disse à BBC que pretendia restaurar o primado da lei no Paquistão.

"É a democracia contra a ditadura", afirmou.

Em Agosto, o supreme Tribunal do Paquistão declarou que o ex-primeiro-ministro tinha o direito de regressar ao país.

As autoridades paquistanesas impediram hoje os apoiantes de Sharif de se deslocarem ao aeroporto de Islamabad para o receber e os voos domésticos a partir da capital foram cancelados.

Segundo a BBC, há relatos de confrontos entre apoiantes de Sharif e as forças da ordem em Islamabad, Rawalpindi e Attok, onde foram disparados vários tiros e algumas pessoas terão ficado feridas.

A deportação de Sharif já foi condenada pela Comissão Europeia, que apelou para que as autoridades paquistanesas respeitam a decisão do Supremo Tribunal do país.

"A decisão do Supremo Tribunal é muito clara e deve ser respeitada", afirmou em Bruxelas Christiane Hohmann, porta-voz para a Política Externa do executivo comunitário.

"Se há alguma queixa na Justiça contra Sharif, então ele deveria ter podido defender-se perante um tribunal paquistanês", acrescentou.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.