130 alunos do ensino secundário assumem o lugar de deputados durante dois dias


 

Lusa / AO online   Nacional   25 de Abr de 2010, 13:32

Habitualmente dirigem as perguntas aos professores. Nos próximos dois dias, no entanto, é a vez de os partidos enfrentarem as dúvidas de 130 alunos do ensino secundário, que vão assumir o papel de deputados e marcar a ordem dos trabalhos na Assembleia da República.

No âmbito do Parlamento dos Jovens, na segunda feira, os novos parlamentares, escolhidos pelos respetivos círculos eleitorais e em representação das suas escolas, dividem-se por quatro comissões para debater um total de 21 projetos de recomendação.

No final, após o debate dos diplomas, cada comissão aprova um projeto comum, com um limite máximo de cinco medidas e três perguntas para serem apresentadas na sessão plenária de terça feira.

Nesse dia, os estudantes vão poder fazer perguntas a deputados dos Grupos Parlamentares, debatendo e votando depois uma única recomendação.

Para tornar ainda mais real a experiência, o presidente da Comissão de Educação e Ciência, o socialista Luiz Fagundes Duarte, responde em conferência de imprensa às perguntas dos jornalistas das escolas.

"A importância deste programa passa pela formação cívica dos jovens no sentido de perceberem como funciona o sistema democrático, a Assembleia da República, e de como podem intervir na vida do país, com sugestões e medidas que constituirão uma recomendação ao Governo", afirmou o deputado, em declarações à agência Lusa.

Luiz Fagundes Duarte subinha que quando este programa começou, há cerca de dez anos, não chegava a cem o número de escolas participantes, mas que hoje são mais de 800. Por isso, afirma que, "quando têm oportunidade, os jovens participam na vida política".

"O grande mérito deste programa é desencadear junto dos adolescentes e jovens o interesse pela discussão política, de ideias, pela aceitação da diferença", acrescentou.

O presidente da Comissão de Educação e Ciência sublinha o empenho dos alunos no programa Parlamento dos Jovens, registando-se mesmo, por vezes, perguntas "complicadas" como as relacionadas com a avaliação dos professores, a adesão da Turquia à União Europeia ou as formas de combater a gravidez juvenil.

"Eles levam este trabalho muito a sério, com meses de preparação nas escolas e nas sessões distritais. E dirigem-se mesmo aos colegas por senhor deputado e senhora deputada. É extremamente interessante", disse.

O vice-presidente da Assembleia da República Vera Jardim abre a sessão solene do plenário na terça feira, na qual também deverá estar presente o ministro dos Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.