De mansinho, a palavra narrativa saiu do léxico diário, mais ou menos sete anos depois de ter entrado no vocabulário de muitos portugueses. Até à exaustão, políticos, economistas, banqueiros, contabilistas, gestores, falavam de narrativa com tanta intensidade como, por ironia, Carlos Reis nunca houvera feito com a literatura....